Voltar a página Inicial

Estimativa 2018 - Setor Floricultura






Entendemos que o setor da floricultura envolve a produção e comercialização de equipamentos, máquinas, insumos e materiais de decoração usados no paisagismo e floricultura. Além disso, envolve o setor de produção e comercialização de plantas e flores e serviços nos quais são ligados ao paisagismo, ajardinamento e decoração de festas e eventos com flores e plantas. Entendemos também que o paisagismo e ajardinamento abrange o simples corte de grama até implantações mais requintadas de projetos paisagísticos.

Quanto a produção de plantas e flores bem como a comercialização, praticamente ficou estagnada no Rio Grande do Sul do ano de 2014 até agora, tivemos redução em vários itens: plantas de jardim, flores de estação, flores e plantas de corte e ampliação em itens indiretos, como ferramentas e insumos, etc.

Estimamos um faturamento anual no estado de 2 bilhões de reais. Aproximadamente 45% deste faturamento é a indústria de equipamentos, ferramentas e insumos utilizados pelo setor ou industrializados no RS. Nesse grupo temos uma simples enxada até o maior e melhor cortador de grama, um simples adubo até o mais complexo insumo biotecnológico. Estimamos que são faturados no Rio Grande do Sul 900 milhões de reais por ano, gerando aproximadamente 2.500 empregos, gerando um emprego a cada 360 mil reais de faturamento.

Acreditamos que 25% seja faturamento com plantas desde a produção até a comercialização, envolvendo produção local e de outros estados, 500 milhões de reais anuais. Gerando um emprego na cadeia a cada 200 mil reais de faturamento. Portanto 2.500 pessoas são empregadas.

Próximo a 30% é o faturamento no setor de serviços de decoração, paisagismo, ajardinamento, manutenção de jardins, decoração de eventos e festas. Faturando próximo a 600 milhões de reais anuais. Neste grupo gera-se aproximadamente um emprego a cada 100 mil reais de faturamento anual, portanto gera aproximadamente no estado 6.000 empregos, estão também nesta contabilização as manutenções de áreas publicas feitas por funcionários públicos ou privados.

Geramos um total aproximado de 11 mil empregos, ou seja, a cada R$181.818,20 gastos anualmente no nosso setor com a compra de produtos, equipamentos, ferramentas, flores, plantas e serviços, geramos um emprego.

O setor é ponteiro em desenvolvimento de tecnologia. Na década de 80 a floricultura já produzia fora do solo e usava soluções nutritivas na água para nutrir as plantas, além de já nesta época usar controle biológico de pragas e doenças. No setor urbano há muitos anos já não se usa agrotóxicos por força de lei e tivemos que nos adaptar com genética, manejo e insumos adequados, desenvolvendo novas tecnologias que poderão ser usadas futuramente para a produção de alimentos. Inclusive é do nosso setor o início da reciclagem de subprodutos orgânicos gerando insumos, como fertilizantes, substratos e outros.

O RS é um grande produtor, estamos entre os quatro principais estados produtores do Brasil. No nosso estado somos grandes produtores de flores de estação, como as alegrias de jardim, boca-de-leão, tagetes, amor perfeito e outras flores que são as mais utilizadas. Produzimos gerânios, arbustos e mudas nativas floríferas, como ipês, primaveras e outras mais. Produzimos cactos e suculentas, inclusive temos o maior produtor de cactos e suculentas do Brasil e está entre os maiores do mundo, além de ter uma das maiores e melhores coleção de variedades. Somos produtores de mudas pré cultivadas de gerânio, flores de estação e arbustos diversos e vendemos para todo o Brasil. Produzimos arbustos, especialmente variedades de clima temperado, aliás somos referência no Brasil nesta área. Produzimos também flores de corte, vasos de flores, folhagens e orquídeas, mas no item em vasos para interior somos mais importadores, principalmente de São Paulo. Importamos também de Santa Catarina e outros estados, algumas palmeiras e arbustos, principalmente de clima tropical e outros de clima temperado. Exportamos para outros países material genético multiplicado aqui de algumas variedades, principalmente gerânios e importamos sementes e outros materiais genéticos. 

As flores dentro das casas e apartamentos melhoram o ambiente e desestressam, tornam o ambiente contemplativo e sensível, porém a grande transformação é quando trabalhamos a parte externa com o paisagismo e nos envolvemos.

No nosso estado temos duas escolas de paisagismo de destaque nacional, uma delas é em Santa Maria e outra em Nova Petrópolis, que estão preparando os profissionais para atuar na área com técnicas e preparo adequado, para projetar jardins residenciais, industriais e públicos. Também temos diversas Universidades e Institutos que formam Técnicos de nível superior e médio para atuar na produção flores e plantas ornamentais e no paisagismo.

O Rio Grande do Sul é destaque no consumo dos produtos e serviços do setor, somos um dos estados de maior gasto por habitante com o setor floricultura e somos destaque no paisagismo, especialmente no paisagismo de clima temperado. Hoje o turismo que mais cresce no estado envolve os municípios que mais investem no paisagismo, dentre eles podemos mencionar as cidades de Gramado, Canela, Nova Petrópolis, Carlos Barbosa, Garibaldi e Bento Gonçalves.

Temos que transformar o RS e seus municípios em recantos onde o paisagismo e o verde enaltecem as qualidades e peculiaridades de cada rincão. Utilizar os profissionais do setor para que se criem projetos que enaltecem em especial as plantas nativas de cada região e agregar as exóticas para complementar, porém sem que percam as características de cada local.

Uma cidade com paisagismo se torna atrativa, mais limpa e menos violenta, criando um ambienta agradável e muito mais saudável. Investir em Paisagismo é sem dúvida investir em qualidade de vida, geração de emprego e sustentabilidade. Temos as ferramentas para transformar o nosso estado em um local melhor, precisamos de políticas públicas que nos direcionam para isso, com poucos recursos públicos podemos fazer muito, o que o setor quer é usar o paisagismo em escolas como ferramenta educativa e com isso criar uma cultura na sociedade, além disso formar parcerias público-privadas focando o setor e desburocratizar o setor, no aspecto ambiental e de outras regulamentações e simplificar a questão fiscal. Com isso o setor privado fará o resto.

Sabemos que a grande captadora de recurso do século 21 é o turismo e turismo sem embelezamento paisagístico não aguenta. Vamos transformar nossas cidades e com isso o RS.

Todos os assuntos tratados aqui, serão debatidos em um encontro que acontecerá em agosto de 2019, no campus sede da UFSM (Santa Maria ? RS), reunindo setores de produção, empresarial, extensão e pesquisa em floricultura e paisagismo. Tal evento, pretende ser um dos maiores eventos nacionais, unindo forças com: 9º Simpósio do curso Técnico em Paisagismo da UFSM, o 6º Encontro Estadual da Floricultura do RS e o 1º Workshop Sul - Brasileiro de Floricultura e Paisagismo. 


Valdecir Ferrari
Atual Presidente da Aflori.
54 999320236 - beigrupo@beigrupo.com



    Av. Borges de Medeiros, 541, 5° andar - Centro - CEP-91020-023